A parábola do semeador

A parábola do semeador
10 de março de 2015 Administrador

As parábolas são histórias sobre coisas do cotidiano que ilustram verdades espirituais. Jesus ensinou muitas coisas através de parábolas e uma delas é a do semeador, que conta a história de um homem que lançou sementes no solo e obteve alguns resultados (Mt 13.1-23).

Na explicação dada por Jesus aos seus discípulos, entendemos que a semente é a Palavra de Deus e o solo é o coração das pessoas, ou seja, a sua atitude ao receber a mensagem do evangelho. Diante do estado do coração de cada um é que se tem o resultado da Palavra semeada.

O solo na beira do caminho é duro e estéril. Representa aquelas pessoas que tem o coração fechado para a Palavra de Deus. Elas não podem ser transformados pelo evangelho porque não permitem que ele entre em suas vidas.

Entre as pedras as raízes não podem se aprofundar, significando que o solo pedregoso indica a falta de solidez espiritual. As raízes não se desenvolvem e a planta murcha e morre. Ao receber a mensagem é necessário crescer na fé e no conhecimento das Escrituras para que os tempos difíceis não venham a matar a vida cristã.

O crescimento de espinhos junto com a semente não permite a água, a luz do sol e os nutrientes do solo, e isso tudo sufoca a planta. Devemos vigiar para que os interesses mundanos não dominem nossa vida e nos falte vigor espiritual para levar avante a nossa fé.

O solo bom é onde a semente germina, cresce e produz livremente. São os corações que se abrem para o evangelho, crêem na Palavra e se esforçam para obedece-la, amam a Deus e se consagram para servi-lo. Estes produzem frutos abençoados.

Os frutos produzidos são as obras de fé e amor que o salvo em Cristo pratica. É o evangelho colocado em evidência na vida, o que faz com que o cristão seja uma luz que brilha neste mundo. Se recebemos a Palavra em um coração puro somos incentivados pelo Espírito de Deus a semear esta mesma semente em outros corações, e isso fazemos através do evangelismo e da obra missionária, e neste sentido, cada crente é um evangelista e um missionário.

Pr. Edvaldo Bueno